8 de março e as causas que precisamos abraçar

dia internacional da mulher

O dia 8 de março não é sobre beleza, sobre a maternidade ou sobre como as mulheres conseguem dar conta de tudo em cima de um salto 15.

É sobre violência doméstica, é sobre assédio em todas as suas formas, é sobre estupro, sobre mortes, sobre desrespeito e desmerecimento. É sobre “ela é louca”. Ou sobre “tá naqueles dias, né?”. Mas se você preferir pode ser sobre “ela é assim porque é mal comida”. Perdoem-me o linguajar chulo, mas é daí pra baixo no mundo real.

O dia 8 de março é sobre o direito ao voto.

É sobre conquistas femininas que custaram sangue, literalmente.

Portanto, se você não ganhar uma florzinha neste dia, não se chateie. Não pense que alguém te esqueceu. Lembre-se apenas da felicidade que é ter seu próprio carro, sua casa própria, seu salário. Lembre-se de quão bom é poder escolher seus representantes políticos, a roupa que vai usar, o prato que vai comer. Alegre-se por ter escolhido se casar, ou não. Por ter escolhido ter filhos, ou não. Por ter escolhido ser dona de casa, ou não.

Alegre-se por saber ler e escrever.

E isso ainda é pouco.

Aproveite a data e leia sobre as mulheres que morreram para que você pudesse escolher. Sobre mulheres que perderam partes do seu corpo para te dar voz.

Aproveite para exercitar a empatia pelas mulheres que ainda precisam cobrir seus corpos para sair à rua, pelas mulheres que ainda não tem acesso à educação. Pelas mulheres que ainda tem seus corpos mutilados. Todos esses males simplesmente porque nasceram mulheres.

Reforce o coro das mulheres que gritam pela igualdade, pelo respeito, pela dignidade, pelo fim do racismo. E se você não quiser ou não puder gritar, não tente silenciar quem luta por essas causas. Afinal, as conquistas serão para todas.

Que o maior presente pelo Dia Internacional da Mulher seja o respeito nos 365 dias do ano.

Anúncios

18 comentários sobre “8 de março e as causas que precisamos abraçar

  1. A luta pelos nossos direitos é diária. Devemos lembrar das que vieram antes de nós e conquistaram o que temos, mas devemos continuar a luta pelo empoderamento, pelas que ainda tem seus direitos negados, que tem a violência como parte integrante dos seu cotidiano. Devemos falar pelas silenciadas e deixar de lado os clichê que querem nos fazer engolir em todos os outros dias do ano.
    Seu texto está perfeito! Que muitas de nós possam ter voz e usá-la!
    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ótimo texto!!! Na verdade, essas mulheres que lutaram tanto por nossos direitos deveriam ser lembradas e citadas mais vezes para que todo mundo conheça a história. Acho que tem muita gente que não sabe metade da luta, conhece no máximo a histórias da fábrica e de greves de sutiãs queimados, mas é muito mais do que isso, tem muito mais que isso e muita mulher nisso.
    Beijos! =**

    Curtido por 1 pessoa

    • Você está certíssima, Cris. Precisamos saber mais sobre nós mesmas e a história da luta das nossas antepassadas. Assim conseguiremos força e inspiração pra mudar o que ainda precisa ser mudado. Um grande beijo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s