Tag: Doctor Who

Finalmente, depois de quase um ano de blog, um post sobre Doctor Who.

Tudo bem que é em forma de tag mas já é um começo. Não ter um post exclusivo sobre a série aqui no Fluxo Constante é uma falha gravíssima no meu caráter.

Corrijamos.

A tag foi criada pela Taís Amaral e proposta lá no grupo Blogueiros Geeks.

Processed with VSCO with a5 preset

Funko Tenth Doctor
  • Qual o seu Doctor favorito?

Não é uma pergunta fácil de responder. Cada encarnação do Doctor tem uma peculiaridade e amamos todos igualmente. Mas já que temos que escolher um, eu fico com o décimo Doutor, interpretado pelo maravilhoso David Tennant. Sofri horrores com a saída dele, peguei birra com o décimo primeiro mas depois passou.

  • Qual a acompanhante (ou companion) favorita?

Essa é fácil. Donna Noble, interpretada por Catherine Tate, teve sua primeira aparição no último episódio da segunda temporada em 2006 e no especial de Natal The Runaway Bride. Donna é engraçada, desastrada e desesperada para dar certo na vida e encontrar um marido. mas ela não é apenas isso. Ela é também sensível, justa e sempre trazia o Doctor de volta pra realidade quando ele se excedia ou deixava a sensibilidade e “humanidade” lado. E a melhor parte, ela não tinha um crush por ele. Vamos combinar que drama romântico é um porre.

  • Episódio(s) memorável (eis)

Meus episódios favoritos da série são os que tem menos carga dramática e muuuuuuuita ficção científica. Não entendo nada de física quântica mas aceito as teorias de bom grado. O episódio que mais me deixou louquinha e é sempre o que recomendo para os iniciantes em Doctor Who é Blink. É o décimo episódio da terceira temporada, baseado num conto do Steven Moffat. Nele conhecemos um novo e cruel vilão. Nunca mais olhei para uma estátua com os mesmos bons olhos…

  • Um episódio que te fez chorar

Vincent and the Doctor. Décimo episódio da quinta temporada. O episódio anterior já havia sido bem emocionante, estava abalada e nada preparada para o que assisti nesse episódio.O Doctor e sua companion viajam para o passado e encontram um atordoado e fracassado pintor em Provence. A cidade sofre uma ameaça invisível e apenas Van Gogh é capaz de vê-lo. Inspirada no fato de que Vincent Van Gogh nunca conheceu o sucesso do seu trabalho, a cena final do episódio é de derreter geleiras inteiras.

  • Os 3 melhores monstros que já apareceram na série

Os Daleks, irritantemente resistentes e estão sempre dando saltos temporais e tramando uma nova forma de derrotar o Doctor e dominar o universo.

Tem os Weeping Angels que se alimenta da energia residual dos viajantes no tempo, portanto eles mandam suas vítimas para um outro tempo, geralmente o passado, o que produz a energia que eles precisam para se alimentar.

E os Cybermen, umas máquinas malditas que insistem em transformar humanos em robôs a fim de eliminar as emoções. Pensa num troço que deve doer…

Processed with VSCO with a5 preset

O décimo doutor e um cyberman
  • Um momento que achou que o Doctor não escaparia MESMO.

No episódio The Satan Pit eu achei meeeeesmo que nosso alienígena favorito não escaparia do abismo onde ele caiu e que era, nada mais nada menos, que a prisão do cramunhão chefe. Esse é o nono episódio da segunda temporada.

  • Qual episódio especial de Natal que você mais gostou?

The end of Time. Outro episódio que deixou o pessoal aqui em casa bem abalado emocionalmente. Tem duas partes, a primeira foi ao ar em 25 de dezembro de 2009 e a segunda, em 1 de janeiro de 2010. Esse especial de Natal marca a saída de David Tennant e de Russel T. Davies (RTD), o showrunner. Além de nele aparecerem pela primeira vez, outros gallifreyanos , considerados extintos até então. Até hoje choro pela saída dos dois. Sim, eu sou uma das viúvas do RTD.

  • Caso tivesse que escolher, você seria um Dalek ou Cybermen.

Gente, lógico que seria um dalek. Apesar da aparência, são os mais próximos dos humanos. Eles repudiam as emoções, assim como os cybermen, mas são cheios de ódio, raiva e desejo de vingança. Eles não percebem mas esses sentimentos são a justificativa que usam para destruir o universo e reinarem absolutos. Tem coisa mais humana que isso?

Processed with VSCO with a5 preset

um dalek
  • Qual te dá mais medo: Weeping angels ou Silence (cite outro se quiser)?

Weeping Angels. Aliás, o que é o Silence? piada interna

  • Para que lugar iria com a Tardis?

Qualquer lugar. Imagine visitar o mundo inteiro sem pagar passagem? Ok, sério agora, talvez eu iria pro momento em que nossa civilização surgiu.

  • Uma frase favorita

Together or not a t all. ❤

Processed with VSCO with a5 preset

  • Qual seu outfit de Doctor

Difícil essa. Eu gosto da jaqueta de couro do Ninth, do terno risca de giz e all star do Tenth, da gravata borboleta do Eleven e da capa de vampiro do Twelfth.

  • Já assistiu a algum spin off de Doctor Who? Se sim, o que achou?

Amigo, eu sou a louca de Torchwood, inclusive trabalhei lá comprando pizza e servindo cafezinho.

And the big question: O que é Doctor Who pra você?

Responderei a essa pergunta em  outro post. Aguardem.

Se você chegou até aqui, deixe um comentário pra mim e caso se interessem, assistam aos episódios que citei aqui, principalmente Blink.

A tag está aberta para quem quiser responder.

Anúncios

Cinco séries do coração

Oi, desafio 52 semanas. Tudo bem? Faz tempo que a gente não se fala, né?

Pois é. Há dois posts atrás contei porque o blog ficou desatualizado por quase um mês. Fiquei chateada por ter falhado no desafio, pensei em abandoná-lo mas chega dessa palhaçada de largar as coisas pela metade.

Prossigamos então com o tema para esta semana, a 19ª do desafio: minhas séries favoritas.

Alerta de textão

Quem me conhece um tiquinho sabe que em primeiríssimo lugar está DOCTOR WHO.

doctor-who-has-a-new-time-lord-peter-capaldi-is-the-twelfth-doctor

Eu embarquei nesse mundo de séries por volta de 2011, depois de conhecer meu marido. Ele me mandava mensagens do tipo “amor, olha essa série que legal”. Eu baixava e assistia. Foi assim que conheci essa série de mais de 50 anos de existência. O primeiro episódio, claro, foi tipo WHAT A HELL IS GOING ON? Mas depois fiquei MARAVILHOSO ISSO, QUERO MAIS. Os episódios favoritos são muitos, qualquer dia desses falo sobre eles aqui. Infelizmente a Netflix ferrou os esquemas e tirou Doctor Who da grade.

Depois vem GAME OF THRONES. Naturalmente, gosto mais dos livros do que da série de TV. As vezes eu olho pra eles na estante e nem acredito que li aquilo tudo. Apesar de achar a série muito bem feita e adaptada, sempre acho que poderia ser diferente uma coisa ou outra. Principalmente quando não caracterizam as personagens de acordo com o que eu idealizei na minha cabeça.

game-of-thrones_7uqkuxi

Uma série que comecei a assistir após o advento da Netlfix foi SUPERNATURAL. Passei as primeiras semanas dormindo de luz acesa, mas tudo bem. Sobrevivi. Não sei por que a série tem 11 temporadas, a história dos irmãos Winchester deveria ter se encerrado lá na 6ª temporada, mas Jared Padalecki e Jensen Ackles nunca são demais na minha telinha. Sem falar que esse estilo low fantasy, o sobrenatural misturado com o mundo real, me atrai bastante.

supernatural___season_9_by_lifaan-d6zwjiy

DOWNTON ABBEY é outra série que conheci pós Netflix e me apaixonei de um jeito que nem percebi. Quando me dei conta já tinha assistido as 5 temporadas disponíveis on line. A representação magnífica de uma época me deixou hipnotizada. Ver a vida acontecendo enquanto a História se escrevia, embora seja uma vida fictícia, é, no mínimo, fascinante.

p12123236_b_v8_aa

E pra encerrar esse post enorme, TORCHWOOD, um spin off de Doctor Who, com um orçamento baixo, um elenco razoável, mas tem Jack Harkness de protagonista e Russel T. Davies de showrunner da série. E, não, não superei a saída do RTD para a entrada do Moffat em Doctor Who.

E vocês? Quais são suas séries favoritas? Já assistiu alguma das citadas aqui?

Até breve.

Este post faz parte do Desafio 52 semanas, semana 19. Clique aqui para ler os outros posts publicados para o projeto.

[Resenha] Doctor Who-Shada

Há tempos não falo sobre livros aqui e nada melhor do que voltar a fazê-lo falando de Doctor Who.

Processed with VSCOcam with a4 preset

Estou devendo um post sobre a série, eu sei. Eu só preciso baixar meus episódios favoritos e revê-los pela enésima vez pra compartilhar aqui.

Por ora falemos de Shada, o primeiro livro de Doctor Who que li.

Esse livro tem origem no episódio, de 1979 e roteirizado pelo Douglas Adams, de mesmo nome, que nunca foi ao ar. Algumas cenas até foram gravadas mas não terminaram as filmagens por motivos alheios.

Gareth Roberts, também roteirista da série, foi convidado a concluir o episódio em forma de prosa e o fez com maestria. A história é bem típica da série, algum alienígena louco deseja dominar o mundo e coloca a Terra em risco. O Doutor e seus companheiros chegam para salvá-la. Todo mundo sabe como esse senhorzinho, aqui com 760 anos, é apegado a esse planeta e seus habitantes. No meio disso muita confusão, algumas baixas e muita ciência, embora uma ciência inexistente. Eu acho.

Há quem diga que Doctor Who é ficção científica, fantasia, fantasia científica, ficção fantástica. Bem, de fato, a série e este livro são mesmo fantásticos.

Roberts conseguiu manter o tom cômico do Adams. Eu dei boas risadas desde a primeira página até a última. Aliás esse livro tem o melhor primeiro parágrafo que já li em toda minha história com livros. E a dissolução do conflito bem absurda, como sempre. Sensacional.

Processed with VSCOcam with a4 preset

Diga aí se não é o melhor primeiro parágrafo que você já leu.

Eu recomendo o livro a todos que o curtem o gênero. Mas acredito que quem já assistiu a série conseguiria capitar melhor toda a ideia de Shada, já que ele é cheio de referências ao próprio cânone.

Foi uma grata surpresa e eu já quero mais livros com o Doutor.

DOCTOR WHO SHADA 1

Post especial para o Desafio Literário Skoob 2016.

Para ler a sinopse visite a página do livro no Skoob.

Alguns Retalhos acumulados…

citações favoritas

Retalhos é uma das categorias aqui do blog que mais tenho gosto de atualizar, apesar de ter ficado algum tempo parada. Ela é o meu xodozinho. E não é que o desafio dessa semana é justamente para listar 5 citações favoritas? As minhas preferidas, que estavam guardadas em algum lugar há algum tempo, já foram publicadas aqui nessa categoria.

Pra não ficar repetitiva nas citações, eu tive que ler mais, ouvir mais músicas, assistir mais filmes, prestar mais atenção nas conversas com os amigos… Mas não é bem assim que as coisas funcionam, né? A palavrinha tem tocar fundo lá no nosso coração, ficar martelando na nossa cabeça por dias e dias… Só assim sabemos que ela é queridinha por nós.

Bem em cima do laço consegui separar citações diferentes pra compor a lista. Mas uma delas é a favorita da vida inteira e foi repetida aqui. Veja mais abaixo.

Você não é obrigada a tratar, mas é obrigada a cumprir. (Mãe me ensinando a honrar meus compromissos) ❤

As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. (Um versículo bíblico (I Coríntios 2,9) que uma amiga da faculdade leu pra mim. Me marcou profundamente e sempre me lembro dele quando tenho algum questionamento sobre como anda a vida. Uma pena que não tenha mais contato com essa amiga.)

É possível lutar contra ameaças físicas, mas quando alguém controla a sua mente, você perde tudo. (O quarto Doutor sendo maravilhoso em Doctor Who – Shada, página 194. Só consigo pensar nas meninas que sofrem com relacionamentos abusivos com esse quote)

If I turn into another dig me up from under what is covering the better part of me. Se eu me transformar em outra, desenterre-me daquilo  que esconde a melhor parte de mim. (Dig, do Incubus)

Não trate como prioridade quem te trata como opção. Uma das frases mais cafonas que já vi circulando pela internet. Mas não é que ela faz muito sentido? 

E para saber quais outros trechos de música, livros, filmes que já publiquei aqui é só vasculhar a categoria Retalhos ali do ladinho. 🙂

Até breve.

Este post faz parte do Desafio 52 semanas. Clique aqui para ler os outros posts publicados para o projeto.

Imagem: Pexels