Lixo emocional alheio e crise de ausência

Nem meia hora depois de voltar ao trabalho e já tive que lidar com emoções alheias mal-resolvidas.

Durante meus dias em casa, havia me esquecido de como é difícil a gente não absorver o lixo emocional de gente beirando a terceira idade e que ainda não aprendeu a gerenciar suas frustrações. É um festival de agressividade gratuita, uma necessidade insaciável de sinalizar as dificuldades alheias a fim de abafar as próprias limitações. A reação imediata é de gritar mais alto, de sugerir que a pessoa mude de profissão, de mandar ir pastar, mas a gente respira fundo, recupera o equilíbrio perdido nos 15 segundos anteriores e faz crise de ausência e deixa o sujeito desestabilizado falando sozinho.

Falta muito para as férias de 2020?