Planejamento x Organização e por onde começar

Há uns dias fiz uma enquete no Instagram perguntando o que as pessoas gostariam que eu falasse sobre planejamento e organização. As respostas foram: como começar e qual a diferença entre um e outro. Além disso, me pediram pra falar sobre o sistema GTD (Getting Things Done). Eu ainda estou implementando esse sistema e não me sinto ainda muito habilitada para falar sobre ele, mas já vejo melhorias na vida de modo geral após começar a usá-lo. A minha referência sobre ele é a Thais Godinho, do blog Vida Organizada.

O que é o que

Planejamento e organização são duas coisas diferentes e é sobre isso que falaremos neste post.

Planejar é fazer previsão, é decidir o que fazer, quando e como fazer. É estabelecer objetivos e definir as estratégias para alcançá-los.

Organizar é colocar cada coisa em seu lugar. Num exemplo bem simplório, é colocar a roupa limpa no guarda-roupas e a roupa suja dentro da máquina de lavar. Quando tudo está organizado, sabemos dizer com precisão onde está algum documento, informação. Tudo que se precisa é facilmente recuperável por qualquer pessoa.

Entender essa diferença me proporcionou uma clareza de raciocínio impressionante.

Organizando informação

Todas as informações que chegam a nós precisa ser processada e organizada de maneira a facilitar o acesso a elas sempre que necessário.

Se a informação que você recebeu tem dia e hora pra específicos, ela vai para seu calendário.

Se é uma ação que precisa ser feita assim que possível, vai para a lista de tarefas, próximas ações, to do list. Não importa como você nomeia a sua lista, importa que nela estejam ações da mesma natureza, por exemplo: coisas a fazer na rua; a fazer em casa; assuntos a tratar no trabalho; on line e assim por diante.

Tá, mas por onde começar?

Comece escrevendo numa folha de papel tudo aquilo que você tem/ gostaria de fazer, tudo aquilo que chamar sua atenção. Um curso, um quadro novo pra sala, um passeio… Depois visualize defina a primeira ação que tornará em realidade esse seu desejo de fazer algo. Reflita sobre as condições necessárias, sobre os recursos que a tarefa exige e sobre quando você gostaria de realizá-la. Provavelmente, muita coisa ficará pra depois e você terá que criar uma lista que o GTD chama de um dia/ talvez.

Eu sei que esse post fala muito sobre o GTD, apesar de eu ter tido lá em cima que não me sinto apta a falar sobre ele. Acontece que eu não consigo mais desvencilhar planejamento/organização do sistema, pois foi ele que me proporcionou essa clareza de raciocínio e as orientações necessárias para colocar a vida nos trilhos. Além disso, é a experiência que tenho para compartilhar.

Uma nada breve revisão sobre o super longo mês de agosto

Quantos anos cabem no mês de agosto? Tenho certeza de que, em algum momento, você também se fez essa pergunta.

Os quinze primeiros dias do mês foram triviais: trabalho em horário regular, alguma horas extras e início do semestre letivo. E ainda consegui encaixar um lanche/ jantar com uma amiga de longa data e um bate-volta à Caçapava (SP) pra comemorar o aniversário da sogra. Aqui abro um parêntese para dizer que nunca gostei de viagens do tipo bate-volta, achava perda de tempo e dinheiro. Fiz duas nos últimos três meses. Amei! Como eu era tola!

Além do aniversário de sogra, eu compareci a mais quatro festas de aniversário e a um casamento. Dieta? Nunca nem vi. E lá se foram, por brigadeiros abaixo, os objetivos específicos para agosto: 10 dias seguidos de dieta limpa e voltar a caber com folga no macaquinho preto que tenho há quase 10 anos.

No meio de tantos eventos, deu pra ler metade de Almas Mortas (Gógol), sentir uma sensação de ansiedade bem aleatória, é assim que ansiedade funciona, não é mesmo?; reassistir à Fringe, começar Queer Eye, rearranjar o escritório, rascunhar inúmeros textos para o blog, comer uns 500kg de açúcar, engordar 2kg e aprender. Aprender muito sobre mim mesma, aprender que sou capaz de gerir meu tempo, planejar a vida e executar as ações que irão me conduzir até a realização dos meus objetivos.

Algumas coisas ainda precisam de melhoria, como a saúde e vida financeira, mas já tenho bem claras e estabelecidas as ações relacionadas a essas áreas. Só falta um engajamento maior e tudo irá bem.

Não posso deixar de dizer que em agosto eu alcancei mais dois objetivos da lista para 2019 e estou muitíssimo feliz e satisfeita comigo. Aquela sensação de “mulher, você é capaz”.

E, pra finalizar agosto com chave e ouro, comecei um curso presencial que fica a 35km de distância da minha casa.

O saldo do mês foi positivo, definitivamente. Os 5 anos de duração de agosto foram tão intensos que nem vi meus 15 dias de férias passarem.