Que fase!

De que adianta uma miniférias de 5  dias se você passa 4 à beira da morte com enxaqueca? E o pior de tudo, o marido viajando e não ter ninguém com quem brigar. Todo mundo sabe que é de praxe brigar com o ser humano mais próximo em casos de dor ou fome.

Eu esperei tanto por esses 5 dias de descanso, dormir sem hora pra acordar, fazer uma maratona de leitura, praticar a escrita, ir conhecer a academia nova… Mas tudo que consegui fazer foi ficar trancada no quarto sem uma fonte de luz se quer pra não piorar a dor.

Nem isso deu muito certo pois os prestadores de serviços da loja de móveis escolheram o dia em que a enxaqueca estava mais forte pra montarem minha mesa. E esse dia também era dia de manicure. Já estava marcado e era do outro lado da rua. Só atravessar. Sem desculpas pra não ir. Entretanto, perdi meu cartão do banco e tive que pagar a manicure no crédito. Totalmente contra os meus princípios usar o cartão de crédito pra esse tipo de serviço.

Além de à beira da morte por conta da enxaqueca, passei esses 5 dias sem dinheiro nenhum. Saques sem cartão de crédito apenas na minha agência, e ela fica próxima ao meu trabalho. Quais as chances de eu aparecer lá durante esses dias? Aí eu fui ontem no shopping e resolvi dar uma olhadinha no caixa eletrônico, vai que um milagre de Roque Santeiro acontecesse e eu conseguisse sacar meus pouquíssimos reais restantes…

Eu só precisei ler o QR code que apareceu na tela do caixa com o aplicativo do meu banco instalado no celular. Pronto! Dinheiro na mão.

É ou não é pra terminar o mês com vontade de se autoinflingir torturas impronunciáveis?

Mas é como diz o ditado… vamo fazê o quê?