Que fase!

De que adianta uma miniférias de 5  dias se você passa 4 à beira da morte com enxaqueca? E o pior de tudo, o marido viajando e não ter ninguém com quem brigar. Todo mundo sabe que é de praxe brigar com o ser humano mais próximo em casos de dor ou fome.

Eu esperei tanto por esses 5 dias de descanso, dormir sem hora pra acordar, fazer uma maratona de leitura, praticar a escrita, ir conhecer a academia nova… Mas tudo que consegui fazer foi ficar trancada no quarto sem uma fonte de luz se quer pra não piorar a dor.

Nem isso deu muito certo pois os prestadores de serviços da loja de móveis escolheram o dia em que a enxaqueca estava mais forte pra montarem minha mesa. E esse dia também era dia de manicure. Já estava marcado e era do outro lado da rua. Só atravessar. Sem desculpas pra não ir. Entretanto, perdi meu cartão do banco e tive que pagar a manicure no crédito. Totalmente contra os meus princípios usar o cartão de crédito pra esse tipo de serviço.

Além de à beira da morte por conta da enxaqueca, passei esses 5 dias sem dinheiro nenhum. Saques sem cartão de crédito apenas na minha agência, e ela fica próxima ao meu trabalho. Quais as chances de eu aparecer lá durante esses dias? Aí eu fui ontem no shopping e resolvi dar uma olhadinha no caixa eletrônico, vai que um milagre de Roque Santeiro acontecesse e eu conseguisse sacar meus pouquíssimos reais restantes…

Eu só precisei ler o QR code que apareceu na tela do caixa com o aplicativo do meu banco instalado no celular. Pronto! Dinheiro na mão.

É ou não é pra terminar o mês com vontade de se autoinflingir torturas impronunciáveis?

Mas é como diz o ditado… vamo fazê o quê?

[Resenha] Doctor Who-Shada

Há tempos não falo sobre livros aqui e nada melhor do que voltar a fazê-lo falando de Doctor Who.

Processed with VSCOcam with a4 preset

Estou devendo um post sobre a série, eu sei. Eu só preciso baixar meus episódios favoritos e revê-los pela enésima vez pra compartilhar aqui.

Por ora falemos de Shada, o primeiro livro de Doctor Who que li.

Esse livro tem origem no episódio, de 1979 e roteirizado pelo Douglas Adams, de mesmo nome, que nunca foi ao ar. Algumas cenas até foram gravadas mas não terminaram as filmagens por motivos alheios.

Gareth Roberts, também roteirista da série, foi convidado a concluir o episódio em forma de prosa e o fez com maestria. A história é bem típica da série, algum alienígena louco deseja dominar o mundo e coloca a Terra em risco. O Doutor e seus companheiros chegam para salvá-la. Todo mundo sabe como esse senhorzinho, aqui com 760 anos, é apegado a esse planeta e seus habitantes. No meio disso muita confusão, algumas baixas e muita ciência, embora uma ciência inexistente. Eu acho.

Há quem diga que Doctor Who é ficção científica, fantasia, fantasia científica, ficção fantástica. Bem, de fato, a série e este livro são mesmo fantásticos.

Roberts conseguiu manter o tom cômico do Adams. Eu dei boas risadas desde a primeira página até a última. Aliás esse livro tem o melhor primeiro parágrafo que já li em toda minha história com livros. E a dissolução do conflito bem absurda, como sempre. Sensacional.

Processed with VSCOcam with a4 preset

Diga aí se não é o melhor primeiro parágrafo que você já leu.

Eu recomendo o livro a todos que o curtem o gênero. Mas acredito que quem já assistiu a série conseguiria capitar melhor toda a ideia de Shada, já que ele é cheio de referências ao próprio cânone.

Foi uma grata surpresa e eu já quero mais livros com o Doutor.

DOCTOR WHO SHADA 1

Post especial para o Desafio Literário Skoob 2016.

Para ler a sinopse visite a página do livro no Skoob.

Alguns Retalhos acumulados…

citações favoritas

Retalhos é uma das categorias aqui do blog que mais tenho gosto de atualizar, apesar de ter ficado algum tempo parada. Ela é o meu xodozinho. E não é que o desafio dessa semana é justamente para listar 5 citações favoritas? As minhas preferidas, que estavam guardadas em algum lugar há algum tempo, já foram publicadas aqui nessa categoria.

Pra não ficar repetitiva nas citações, eu tive que ler mais, ouvir mais músicas, assistir mais filmes, prestar mais atenção nas conversas com os amigos… Mas não é bem assim que as coisas funcionam, né? A palavrinha tem tocar fundo lá no nosso coração, ficar martelando na nossa cabeça por dias e dias… Só assim sabemos que ela é queridinha por nós.

Bem em cima do laço consegui separar citações diferentes pra compor a lista. Mas uma delas é a favorita da vida inteira e foi repetida aqui. Veja mais abaixo.

Você não é obrigada a tratar, mas é obrigada a cumprir. (Mãe me ensinando a honrar meus compromissos) ❤

As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. (Um versículo bíblico (I Coríntios 2,9) que uma amiga da faculdade leu pra mim. Me marcou profundamente e sempre me lembro dele quando tenho algum questionamento sobre como anda a vida. Uma pena que não tenha mais contato com essa amiga.)

É possível lutar contra ameaças físicas, mas quando alguém controla a sua mente, você perde tudo. (O quarto Doutor sendo maravilhoso em Doctor Who – Shada, página 194. Só consigo pensar nas meninas que sofrem com relacionamentos abusivos com esse quote)

If I turn into another dig me up from under what is covering the better part of me. Se eu me transformar em outra, desenterre-me daquilo  que esconde a melhor parte de mim. (Dig, do Incubus)

Não trate como prioridade quem te trata como opção. Uma das frases mais cafonas que já vi circulando pela internet. Mas não é que ela faz muito sentido? 

E para saber quais outros trechos de música, livros, filmes que já publiquei aqui é só vasculhar a categoria Retalhos ali do ladinho. 🙂

Até breve.

Este post faz parte do Desafio 52 semanas. Clique aqui para ler os outros posts publicados para o projeto.

Imagem: Pexels

The Revenant: melhor filme?

  

Ai, meu Deus!

Que horrível isso!

Desgraça pouca é bobagem. 

Não vou aguentar assistir isso não. 

Pra quê ele foi atirar no urso? 

Que mer…

Sai daíiiiiiiiii!!!

Whaaaaaaaaaaaat????

Essas foram algumas frases que eu soltei durante as 2:36h de filme.

Desde que saiu a lista de filmes indicados ao Oscar de melhor filme, que estava com vontade de assistir The Revenant, ou O Regresso em versão BR.

Eu me revirava todinha na minha poltrona, na vã tentativa de aliviar a ansiedade com o desfecho do filme já nos primeiros minutos. Aliás, o filme já começa dando mer… Quer dizer, com desgraça. Um grupo de homens brancos, extraindo pele de animais em território indígena. Era flechada e tiro de rifle pra todo lado.

A imersão no filme foi tão grande que até frio eu senti. Sabe filme 4D?

Acho que dessa vez DiCaprio leva o prêmio de melhor ator. A atuação dele foi muito convincente. Pelo menos eu sofri bastante durante a sua jornada.

Quanto ao frio que senti, não tenho certeza se foi pela atmosfera regelada do filme ou uma corrente de ar bem na minha cara. 

Assistam.

Vale o click #3

 

O primeiro apanhado de links bacanas do blog está bem eclético. Tem papo sério, tem descontração, tem até dica de como posar para o look do dia. Alguns posts são de dezembro, mas who cares?

Vem comigo.

  A Carla Lemos do Modices deu dicas de como posar para o look do dia e soltar a blogueira de moda que existe em cada um de nós. 🙂

O blog da Livs está completando um ano e ela está sorteando 3 livros bacanas como forma de retribuir o carinho da galera com o BeLivs. Corre que ainda dá tempo.

Um papo sério no Conteúdo Duvidoso sobre a rivalidade (absurda) entre ciências humanas e ciências exatas.

O Wagner Brito refletiu um pouco sobre Star Wars – o despertar da força e questão da representatividade nos cinemas.

Pra quem ainda está de férias ou quer aproveitar o fim de semana e ainda não conhece a Região dos Lagos (eu, no caso), dicas valiosas do Casal Ventura sobre Arraial do Cabo.

Está precisando de ajuda pra organizar seu blog em 2016? A maravilhosa Lominha disponibilizou um blog planner completíssimo para nos ajudar a manter a casa em ordem.

E pra finalizar, um convite ao desapego no blog Teoria Criativa.

Como combater o calor pavoroso do verão carioca

combater o calor

Ou de qualquer outra cidade onde o calor é de matar.

Piscina, praia ou banho de borracha. Tanto faz, o importante é arrumar um jeito de se enfiar embaixo d’água. No natal passado compramos uma mangueira de 10 metros maravilhosa pra suavizar o mau humor trazido pelo calorão do dia 25.

Pink Lemonade. Pra acompanhar o banho de piscina ou de borracha. E ainda garantir muitos likes no Instagram. Além de ser deliciosamente refrescante. Vi a receita no blog Cozinho, logo, existo e adaptei conforme meu gosto e facilidade para encontrar os ingredientes.

Pegar um bronze. Pra quem gosta de se grosiar¹, o verão garante a cor de jambo, umas rugas e aquela doença que não pode ser nomeada. Pensando bem, melhor não. Cancela o bronze.

Sentar na calçada e ver a vida passar. Sou suburbana nascida e criada. E no subúrbio é muito comum a gente caçar uma sombra e se aboletar com a cadeirinha de praia lá. No meu caso, era sempre na calçada do vizinho da frente. Hoje, eu continuo morando no subúrbio mas eu me aboleto no quintal dentro de casa mesmo.

Ar condicionado. Esse é para os ricos que podem deixar o ar ligado o dia todo sem se preocupar com a conta de luz no mês seguinte. Delicinha e se o aparelho for bem potente e adequado para o cômodo, dá até pra sacar um edredom maroto. Apesar de ser o item mais caro da lista, é também o mais democrático pois atende o pessoal do escritório.

¹grosiar: tomar sol, se queimar, pegar um bronze. Isso no idioma falado pela minha sobrinha Fernanda quando ela era um cotoco de gente.

Este post faz parte do Desafio 52 semanas. Clique aqui para ler os outros posts publicados para o projeto.